fbCarteira de Investimentos | O Que é Carteira de Investimentos | IFCM Portugal

O Que é Carteira de Investimentos

O Que é Carteira de Investimentos

O Que é Carteira de Investimentos

Uma carteira de investimentos é um conjunto de investimentos em alguns objetos financeiros (de acordo com uma estratégia de investimento), que proporcionará rentabilidade máxima em caso de risco mínimo.

O objetivo principal duma carteira de investimentos é obter um ótimo resultado no âmbito da realização da política de investimento desenvolvida através da seleção dos investimentos mais confiáveis e lucrativos. Uma carteira é composta por vários tipos de ativos de investimento.

Tipos de Carteiras de Investimento

Pelo método de geração de lucro e pelo nível de risco, as carteiras de investimento são divididas nos seguintes tipos: conservador, moderado e agressivo.

  • Carteira Conservador é uma carteira moderadamente arriscada e, portanto, menos rentável que consiste em empréstimos de curto prazo, obrigações e outros instrumentos com um risco mínimo.
  • Carteira Agressiva é uma carteira altamente arriscada e altamente lucrativa, que consiste principalmente em ações. Esse tipo de carteira geralmente é gerenciado por investidores, que estão prontos para correr riscos e que são psicologicamente resistentes a grandes flutuações.
  • Carteira Moderada é uma carteira equilibrada, e, em geral, é composto de recursos de alto rendimento e de baixa renda, mas, ao mesmo tempo, ativos confiáveis.

A principal tarefa do investimento de carteira é obter a partir do conjunto de ativos de investimento tais características, que são inatingíveis no caso de investimento de fundos num objeto separado. O objetivo final da criação dum portfólio é conseguir uma combinação mais ótima de risco e rentabilidade.

O risco é principalmente reduzido, quando diferentes ativos não relacionados estão incluídos numa carteira. Em outras palavras, a diversificação deve levar à diminuição fraca do valor geral da carteira, quando o valor de qualquer bem cai fortemente.

A classificação dos tipos de investimento:

  • Pelo grau de materialização: não material e material;
  • Por prazo de vencimento do investimento: curto prazo, médio prazo e longo prazo;
  • Pela rentabilidade: investimentos de alto rendimento, renda média e não lucrativos (investimento do capital em projetos sociais e ambientais, que não buscam lucro);
  • Pela característica de participação em investimentos: investimentos diretos (investidor participa diretamente na seleção de investida), investimentos indiretos (fundos de investimento, conselheiros, fundos mútuos e outros determinam a investida);
  • Pelo grau de risco: investimentos de alto risco, risco médio, baixo risco e livre de risco;
  • Por tipo de investida: real (compra de capital real), financeiro (investimento em ações, títulos e outros valores mobiliários), especulativo (compra de ativos, (pares de moedas, metais preciosos, ações, etc.) excepcionalmente para lucrar sobre as possíveis mudanças de seus preços no futuro);
  • Pelo nível de liquidez: liquidez alta (num curto período de tempo, eles podem ser convertidos em dinheiro), liquidez média (podem ser convertidos em dinheiro de 1 a 6 meses), liquidez baixa (podem ser convertidos em dinheiro a partir de 6 meses), não liquidos (não podem ser realizados por conta própria, mas apenas como parte de uma propriedade)

No processo de sua atividade, o investidor enfrenta dificuldades quanto à escolha duma investida com várias características. A maioria deles assume a formação dum certo conjunto de investidas, ou seja, a criação duma carteira (ou portfólio). Existem numerosos instrumentos que formam uma carteira de investmento, mas os principais são: ações, títulos, ouro, moedas e imóveis.

Os estágios da formação duma carteira de investimentos

  • Determinação da política de investimento e do tipo do portfólio.
  • Determinação da estratégia de gerenciamento de portfólio.
  • Análise de ativos e formação duma carteira. Os critérios gerais para a inclusão de ativos numa carteira de investimentos são os índices de rentabilidade, risco e liquidez.
  • Avaliando a eficácia duma carteira em termos de comparação da lucratividade e risco obtidos factualmente.
  • Auditoria de uma carteira, a fim de não fazer o seu conteúdo contradizer a situação económica já alterada, a qualidade do investimento dos títulos e os objetivos do investidor.

Negociação de carteiras nos mercados financeiros

Com o desenvolvimento de instrumentos compósitos pessoais PCI (Método GeWorko), surgiu uma oportunidade conveniente de negociar carteiras de variedade de ativos nos mercados financeiros em vez de negociar instrumentos separados. Através desta tecnologia, a negociação de carteiras é realizada com base em duas carteiras similares à negociação de instrumentos financeiros separados, quando um ativo (carteira de base) serve como parte de base eo outro ativo (carteira cotada) serve como parte cotada. Além disso, um comerciante tem a oportunidade de negociar seus próprios instrumentos únicos, que são resistentes à volatilidade do mercado, prever as combinações ótimas de rentabilidade e risco e analisar o comportamento de seus instrumentos com base em dados históricos. O comércio de carteiras através desta tecnologia é possível somente na plataforma de negociação profissional NetTradeX.

Gostou do artigo?
Não
Prove a teoria na prática
Conta Demo fornece materiais educacionais e suporte on-line em 18 idiomas